VOCÊ TEM CUIDADO DE SUA SAÚDE MENTAL?

Share on facebook
Share on google
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Estamos no mês do combate ao suicídio, o “Setembro Amarelo”, importante para informar, refletir, avaliar e principalmente prevenir o adoecimento mental que possa levar ao autoextermínio.

Vivemos uma era desafiadora com excesso de estímulos estressantes, excesso de informação, desafios diversos, angústias que precipitam a ansiedade e a depressão.

Cabe aos profissionais de saúde atuar de forma interdisciplinar para auxiliar a sociedade no entendimento de certos desequilíbrios e fatores de riscos para o surgimento da doença mental.  O profissional de saúde deve buscar estabelecer uma relação de ajuda e uma comunicação empática com seu paciente, pois uma comunicação eficaz produz efeitos sobre o bem estar deste, beneficiando o processo de tratamento. A empatia auxiliará o profissional a compreender a forma que o paciente enfrenta os problemas e facilitar para que ele encontre estratégias mais eficazes e saudáveis. Acredito que todo profissional de saúde, seja de qualquer área, deve estar atento aos sinais de estresse psicológico e encaminhar o paciente aos profissionais da saúde mental e a intervenções para a reabilitação.

Há pouco tempo, vimos o suicídio do ator Flávio Migliaccio, já idoso com 85 anos, que deixou um bilhete que mostrava sua infelicidade com o mundo, por estar velho e sozinho. A velhice não é doença, é apenas o último ciclo de nossas vidas e se bem cuidado, não precisa de isolamento e solidão. Durante a pandemia, também soubemos de muitos casos de autoextermínio pelo desespero, falta de cuidado e despreparo dessas pessoas. Por isso, a prevenção em saúde mental é fundamental. É preciso romper com preconceitos e mitos a respeito da terapia psicológica e da psiquiatria. Pois, o tratamento da saúde nessas áreas é o tratamento do nosso cérebro, da nossa cognição, dos nossos afetos, ou seja, do nosso computador central.  Sem saúde mental não há saúde no resto do corpo!

Dessa forma, as pessoas devem estar atentas aos seus familiares e aos seus idosos quanto à necessidade de buscar auxilio terapêutico psicológico e, principalmente, buscar para si e para eles maneiras saudáveis de prevenir desarmonias mentais.  Não basta procurar um psiquiatra e tomar antidepressivo. É preciso prevenir e tratar. Existem muitas formas não medicamentosas de cuidar da saúde mental: exercício físico, socialização, contato com a natureza, meditação, remédios naturais, espiritualidade e intervenções terapêuticas em várias áreas do cuidado à saúde. Vamos pensar mais sobre isso no próximo post e preservar nossa valiosas vidas e a de quem amamos?

vania-schrim

Autora: Vânia Schrim

Terapeuta integrativa há 25 anos atuando com Florais de Bach, Reiki, Massagem Shiatsu, Aurículo-acupuntura, Relaxamento neuromuscular e Mindfulness.  Graduanda em Gerontologia com especificidade em gestão do cuidado em saúde e estimulação cognitiva. Na experiência de cuidar de pessoas e de minha mãe com 79 anos vejo a grande necessidade de levar a cultura do cuidado, do bem estar e da autonomia funcional para uma vida ativa aos maduros. E-mail: vaniaschirm@gmail.com

Créditos de imagem para: freepik – br.freepik.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

By 8 Arroba