Selo de Direitos Humanos e Diversidade premia iniciativas na categoria Pessoas Idosas, iniciativas que fazem a diferença e agregam valor na vida dos 60+

Share on facebook
Share on google
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

O Selo de Direitos Humanos e Diversidade está em sua terceira edição e reconhece as boas práticas de gestão da diversidade e promoção dos direitos humanos, realizadas por organizações do terceiro setor, empresas e organizações públicas.

O Brasil já ultrapassa 34 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e estima-se que em 2050 o país supere a marca de 67 milhões de pessoas 60+, conforme projeções do Portal de Dados do Envelhecimento da OMS – World Helth Organization.

Pensar ações que contemplem a multiplicidade das pessoas maduras e que fortaleçam experiências para bem-estar e qualidade de vida é o grande desafio da sociedade contemporânea. Em um país como o Brasil, com ampla diversidade sociocultural e desigualdades expostas, é preciso olhar de forma heterogênea para essas iniciativas, assim como ressignificar a velhice, abrindo espaço para a valorização das pessoas 60+.

Em São Paulo, o maior município do país, 6 iniciativas promovidas por organizações sociais, foram contempladas nesta categoria (pessoas idosas), apresentaremos estas instituições em duas etapas, e neste artigo você vai conhecer as 3 primeiras:

 

Walking Football Brasil – AWFB com a iniciativa do Walking Football

Walking football é uma modalidade de futebol inclusivo e adaptado, voltado para o público 60+, onde uma das principais características do esporte é prática do futebol caminhando, com regras que diminuem os impactos e lesões comuns ao esporte, tornando-o inclusivo e contribuindo para uma longevidade ativa e bem-estar de seus participantes. O esporte nasceu na Inglaterra e é representado pela WFB em nosso país.

Para Ricardo Leme, um dos fundadores e diretor executivo da WFB, o reconhecimento do Selo marca um importante momento da organização, o de proporcionar a democratização inclusiva do esporte “Desde a nossa fundação, nosso propósito é levar experiências positivas aos maduros no Brasil por meio da prática da walking football e seus projetos educacionais e socioculturais. Vivemos no país do futebol e precisamos fortalecer e democratizar essa modalidade, tornando possível a valorização da diversidade, a conscientização sobre o idadismo e a participação de todos os gêneros no esporte. É preciso proporcionar às pessoas, a oportunidade de conhecer a modalidade e nossos projetos, tendo uma experiência inclusiva, divertida e saudável”.

Site: www.movimenta.me

E-mail:  contato@wfb.org.br

 

Instituto Pinheiro com o Projeto Movimento Virtual 60+

O instituto Pinheiro é uma organização não governamental sem fins lucrativos tem como objetivo promover ações de caráter cultural e social – especialmente para a população com mais de 60 anos. Há alguns anos, decidiram investir e apoiar ações relacionadas à qualidade de vida do idoso, voltadas à sociabilidade, mobilidade e desenvolvimento cognitivo.

O projeto Movimento Virtual 60+ visa ofertar de forma remota as atividades (oficinas) anteriormente oferecidas pelo Instituto Pinheiro de forma presencial em 22 Instituições parceiras no município de São Paulo, para seus atendidos e público idoso em geral.

Utilizam ferramentas como Whatsapp, Google Meet, Youtube e Zoom, tornando flexível a forma de acesso às oficinas diversas como atividades físicas e cognitivas oferecidas pelo Instituto Pinheiro aos idosos, público que sofre as maiores consequências. O principal objetivo do projeto é levar bem estar e tentar amenizar o sofrimento, ansiedade e outras adversidades causadas pelo isolamento social aos idosos.

Site: www.institutopinheiro.org.br

 

Casa de Idosos de Ondina Lobo com o Programa de Atenção à Saúde do idoso

A Casa Ondina Lobo é uma instituição de longa permanência para idosos, sem fins lucrativos, fundada em 1950.

É uma entidade totalmente filantrópica, criada por um grupo de amigos e familiares por orientação de sua patrona Ondina Lobo (1885-1942) que indicava a necessidade de uma instituição para acolher idosos sem recursos.

Oferecem atendimento gratuito e integral atualmente para 66 idosos, com capacidade de atender até 90 idosos, atendem idosos sem
recursos, de ambos os sexos, sem distinção de cor, raça ou religião, possibilitando que a terceira idade seja vivida com dignidade, qualidade de vida e bem estar através de sua integração social.

De acordo com Paulo Coelho, Presidente Executivo, Voluntário, a casa é reconhecida pelos governos federal, estadual, municipal, não recebe nenhum recurso financeiro dos mesmos, mas criou uma reputação de idoneidade por estas certificações, por sua transparência financeira e a forma como os abrigados são tratados. Mediante isto, algumas instituições os procuraram para parcerias. Atualmente, o Hospital das Clinicas, a Faculdade de Medicina de São Paulo e a UNIP  ajudam nos tratamentos, com médicos todos os dias da semana, para tratamento de doenças crônicas, doenças agudas, fisioterapia e odontologia.

Site: www.ondinalobo.org.br

 

Que estas ações possam ser inspiração para outros movimentos e para uma sociedade mais consciente!!

 

Para acessar a segunda parte deste artigo, clique aqui.

Curadoria Somos 60+

Créditos de imagem divulgação para: Observatório do Terceiro Setor

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

By 8 Arroba