A Saúde não esta no Pronto Socorro

Share on facebook
Share on google
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Vivemos uma cultura de doença com a qual não paramos para refletir. Associamos a nossa saúde a planos de doença e consultas em pronto socorros. Quem nunca passou o dia inteiro se sentindo mal no trabalho, aguardando o término do turno para ir até o pronto socorro buscar pela saúde? Fomos condicionados no sistema a valorizar serviços que nos ofertavam muitas opções de profissionais de saúde, pisos de mármore e grandes hotelarias, além de um bom reembolso. Além disso, como fruto de uma cultura paternalista, delegamos a gestão da nossa saúde ao médico, ao plano, ao governo e a nossa empresa. Mas será que deve ser assim? Efetivamente isso tem se traduzido em melhor saúde para cada um de nós?

Creio que não!

50% dos determinantes de saúde estão atrelados as escolhas e hábitos que fazemos em nossas vidas. Claro que todo o hábito isso tem a ver com o nível de consciência que temos em relação ao que efetivamente pode nos fazer bem, ao acesso a informação, ao nosso equilíbrio emocional e com a disciplina para mudar. Quantos de nós não nos boicotamos dizendo que não temos tempo e caímos em tentação de hábitos inadequados ou deixando de buscar aquilo que poderia melhorar efetivamente a nossa saúde?

Toda a literatura científica aponta para os protetores da saúde como atividade física, alimentação saudável com maior consumo de frutas e verduras, relacionamentos sociais e educação. O consumo de drogas licitas e ilícitas são também amplamente comunicadas como fatores de risco para inúmeras doenças, mas e nós com isso, não é mesmo?

Muito mais fácil é fingir que não é conosco e continuar a vida… até que um dia a conta chega! E é aí que a maioria de nós acorda!

Fato é que precisamos encarar de frente que saúde precisa ser cultivada e que os recursos em saúde são finitos! Se imaginarmos nosso corpo e mente como um templo podemos acordar e decidir escolher o que entra nele! Tudo que traga mais saúde e bemestar e menos lixo!

Veja que isso não é uma crítica a existência de prontos socorros. Eles são serviços absolutamente necessários quando sofremos um acidente ou estamos em um estado agudo de doença. Mas fato é que o ideal para mantermos a saúde é além do que já expus acima, termos um médico para chamar de nosso, assim como existia no passado. Médicos que frequentavam as casas e cuidavam das famílias ao longo da vida orientando melhores escolhas e olhando para nós como um ser completo: físico, mental, social. Aquele que conhece como seu organismo funciona com certeza vai saber melhor nos orientar quando é o momento certo para procurar um especialista ou fazer um exame mais elaborado.

Também nada contra os especialistas e as tecnologias. Mas é fato que precisamos deles muito menos do que temos utilizado. Os estudos demonstram que cuidar da nossa saúde e termos um médico que nos acompanha regularmente é suficiente para resolver 80% dos problemas de saúde que vamos passar no decorrer da nossa vida! Muito mais efetivo.

Deixo aqui essa reflexão e convite a você! Saúde não é a ausência de doença. É muito mais que isso e cabe a nós cultiva-la!

 

 

Luciene Carvalho M. Giusti

Assessora Executiva da ASAP / Fundadora do Tempo de Viver Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

By 8 Arroba